Ataque ao Prédio (2011) |

Crítica | Ataque ao Prédio (2011)

O gênero ação comédia é praticamente uma loteria no cinema. Ao passo que temos filmes que falham miseravelmente tanto na tentativa de fazer rir quanto na de gerar cenas de ação eletrizante, (Dois Caras Legais), temos verdadeiras maravilhas como Chumbo Grosso (2011). Felizmente, Ataque ao Bloco está na segunda categoria, ele é um ótimo exemplo de como unir ação e comédia trazendo o melhor de cada um dos gêneros (e ainda dando um toque especial com sci-fi).

Quando alienígenas invadem Londres, uma gangue de adolescente liderada por Moses (John Boyega) precisa defender seu prédio das estranhas criaturas que caíram do céu, além de enfrentar ameaças mais mundanas como a polícia e um traficante que também mora no prédio.

Joe Cornish soube trabalhar muito bem com seu orçamento limitado, optando por não mostrar os alienígenas em alguns momentos e criando uma atmosfera de tensão e expectativa maravilhosa por conta disso. As cenas de ação são criativas e muito bem construídas, as armas utilizadas, as ideias de combate e os momentos de fuga condizem perfeitamente com a idade dos protagonistas, que são adolescentes em sua maioria (Franz Drameh está praticamente um bebê) dando um ar mais crível a trama.

attack the Bolck

A comédia também é um dos pontos altos do filme, ela flui de maneira totalmente natural e orgânica ao invés de trabalhar com spots pré prontos onde o espectador vê a piada vindo o que acaba passando um ar de artificialidade. Ataque ao Bloco conta também com várias referências a cultura pop (O Cap pira) o que proporciona vários momentos engraçados e memoráveis.

Vá pra casa, tranque a porta, faça o dever de casa, assista Naruto!

“Vá pra casa, tranque a porta, faça o dever de casa, assista Naruto!”

As atuações são simples, porém memoráveis. Os atores têm uma dinâmica ótima e é prazeroso os personagens interagindo. É necessário dar ênfase para Alex Esmail (Northern Soul) que dá vida a Pest, membro da gangue de Moses, que proporciona os diálogos e cenas mais hilárias do filme. Luke Treadaway (Fúria de Titãs), que interpreta um biólogo que é a cara das humanas ( e que não é o Dr. Frankenstein de Penny Dreadful e sim o irmão gêmeo dele #TheMoreYouKnow) aparece pouco, mas é um ótimo alívio cômico. O John Boyega (que também está um bebê) faz uma interpretação bem interessante do Moses, conseguindo passar fragilidade e força de uma forma muito crível.

E além de cenas de ação empolgantes, o melhor do humor britânico, atuações consistentes e personagens cativantes, Joe Cornish consegue fazer algumas críticas sociais pontuais. No início do filme, vemos a gangue de Moses assaltando uma mulher que está voltando pra casa. A primeira vista nós somos apresentados a um grupo de marginais, para aos poucos irmos conhecendo cada um deles e vermos que não passam de crianças. Há também uma representação crítica da polícia, onde em mais de um momento ela é comparada aos monstros alienígenas que estão invadindo a cidade.

attack the block

“Hey, Por que vocês sempre prendem as pessoas erradas?”

Ataque ao Prédio é um filme simples, divertido que lembra clássicos como Assalto à 13ª DP misturado com uma pitada de Independence Day, sendo uma ótima representação do gênero.

Nota:
star-fillstar-fillstar-fillstar-fillstar-fill

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s